Tratamento de dislipidemias: altos valores de colesterol e/ ou triglicérides

Tratamento de dislipidemias: altos valores de colesterol e/ ou triglicérides

Divider Diana Ruffato Nutricionista

Dra. Diana Ruffato Resende Campanholi

Tratamento de dislipidemiasO termo dislipidemia se refere a aumento nos níveis de colesterol e/ou triglicérides no sangue.

As dislipidemias podem ser de vários tipos:

  • Aumento dos triglicérides (TG’s);
  • Aumento do colesterol;
  • Combinação dos dois fatores anteriores (a dislipidemia mista);
  • Redução dos níveis de HDL.

Qualquer tipo de dislipidemia representa um importante fator de risco cardiovascular, uma vez que a gordura acumulada nas paredes das artérias pode levar à obstrução parcial ou total do fluxo sanguíneo que chega ao coração e ao cérebro.

Um dos principais pilares para o tratamento da dislipidemia é o dietético. Uma alimentação equilibrada associada a atividade física, podem reduzir consideravelmente os níveis de colesterol total e triglicérides.

Tratamento Dietético

Divider Diana Ruffato Nutricionista

Colesterol Alto

1. Substituição parcial de ácidos graxos saturados por mono e poli-insaturados

Apesar de os ácidos graxos saturados apresentarem importantes funções biológicas, seu elevado consumo está associado a comprovados efeitos deletérios, tanto sob o ponto de vista metabólico quanto o cardiovascular, em razão de elevar o colesterol plasmático e por sua ação pró-inflamatória. A substituição na dieta de ácidos graxos saturados por carboidratos pode elevar o risco de eventos cardiovasculares. Neste sentido, a substituição de ácidos graxos saturados e carboidratos na alimentação por ácidos graxos poli-insaturados está associada ao baixo risco cardiovascular.

2. Ácidos Graxos trans

Os ácidos graxos trans devem ser excluídos da dieta por aumentarem a concentração plasmática de LDL-c e induzirem intensa lesão aterosclerótica.

3. Colesterol Alimentar

Recente metanálise mostrou que o colesterol alimentar exerce pouca influência na mortalidade cardiovascular. Em razão destes estudos mais recentes da literatura, as atuais diretrizes internacionais sobre prevenção cardiovascular mostram que não há evidências suficientes para estabelecimento de um valor de corte para o consumo de colesterol.

Triglicérides Alto

A concentração plasmática de TG é muito sensível a variações do peso corporal e a alterações na composição da dieta, particularmente quanto à qualidade e à quantidade de carboidratos e gorduras. A quantidade recomendada destes nutrientes na dieta depende do tipo de hipertrigliceridemia, que pode se apresentar na forma primária ou secundária, cujas bases fisiopatológicas são distintas.

Na hipertrigliceridemia de causa secundária, observada na obesidade e no diabetes, mantêm-se o controle de gorduras (30 a 35% das calorias) e a adequação no consumo de carboidratos, com ênfase na restrição de açúcares.

As principais medidas são:

1. Redução no consumo de álcool

O consumo de bebida alcoólica não é recomendado para indivíduos com hipertrigliceridemia.

Tratamento de dislipidemias

Tratamento de dislipidemias2. Redução no consumo de açúcares e carboidratos

Doces, mel, melado, açúcares de todos os tipos (mascavo, demerara, de beterraba etc.), xarope de milho, sacarose, suco de fruta concentrado (mesmo sem adição de açúcar) são os principais problemas aqui. Esse precisam ser diminuídos.

3. Substituição parcial de ácidos graxos saturados por mono e poli-insaturados

Os ácidos graxos saturados da dieta relacionam-se com a elevação da trigliceridemia, por aumentarem a lipogênese hepática e a secreção de VLDL. Desta forma, recomenda-se a inclusão de poli e monoinsturados. Dentre os ácidos graxos poli-insaturados, os da série ômega 3 são reconhecidos pela atividade cardioprotetora.

Tanto para o tratamento de cholesterol alto quanto para o tratamento do triglicérides alto a ATIVIDADE FÍSICA faz-se indispensável!!!

Alguns coadjuvantes no tratamento: podem ajudar se a base estiver boa!

Omega 3

Os principais ácidos graxos da série ômega 3 são o ácido ALA (C18:3), de origem vegetal (soja, canola e linhaça), e os ácidos EPA (C20:5) e DHA (C22:6), provenientes de peixes e crustáceos de águas muito frias dos oceanos Pacífico e Ártico.

Fitoesterois

Fitosteróis, fitostanóis e seus ésteres são um grupo de esteroides alcoólicos e ésteres, que ocorrem exclusivamente em plantas e vegetais. Óleos vegetais, cereais, grãos e demais vegetais são fontes de fitosteróis. O consumo de fitosteróis reduz a absorção de colesterol.

Proteína de soja

Encontrada em produtos a base de soja.

Fibras solúveis

Encontrada na maioria das frutas e cereais como Aveia.

Probióticos

Apesar do crescente interesse em investigar o uso de probióticos na colesterolemia, os estudos mostram ausência de seu efeito ou redução muito modesta de concentração plasmática de LDL-c.

Fonte

Atualização da Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose – 2017

WhatsApp chat