O acúmulo de gordura nas paredes das artérias pode levar à obstrução parcial ou total do fluxo sanguíneo que chega ao coração e ao cérebro. E o aumento nos níveis de colesterol e/ou triglicérides, as famosas dislipidemias, é um importante fator de risco cardiovascular. 

Para evitar ou mesmo diminuir os níveis de triglicérides e colesterol no sangue, a adoção de uma dieta equilibrada é essencial, considerada um dos principais pilares para o tratamento da dislipidemia, assim como a prática de atividades físicas regulares. 

Dislipidemias: o que são e quais as causas?

O termo dislipidemia se refere ao aumento nos níveis de colesterol e/ou triglicérides no sangue. As dislipidemias podem ser de vários tipos:

  • aumento dos triglicérides (TG’s);
  • aumento do colesterol;
  • mista (combinação dos fatores anteriores);
  • redução dos níveis de HDL.

A dislipidemia primária é causada por fatores genéticos, já a dislipidemia secundária é causada por outras doenças (diabetes), pelo uso de medicamentos diuréticos ou corticoides, pelo sedentarismo combinado ao consumo excessivo de alimentos gordurosos e fontes de carboidratos simples.

Tratamento dietético para colesterol alto

O tratamento dietético para colesterol alto é individual. Ou seja, pode variar de paciente para paciente, considerando os hábitos alimentares, as preferências e restrições alimentares do indivíduo, assim como possíveis deficiências nutricionais. 

Substituição parcial de ácidos graxos saturados por mono e poli-insaturados

Apesar de os ácidos graxos saturados apresentarem importantes funções biológicas, seu elevado consumo está associado a comprovados efeitos deletérios, tanto sob o ponto de vista metabólico quanto cardiovascular, em razão de elevar o colesterol plasmático e por sua ação pró-inflamatória.

Exclusão dos ácidos graxos trans da dieta

Os ácidos graxos trans devem ser excluídos da dieta por aumentarem a concentração plasmática de LDL-c e induzirem intensa lesão aterosclerótica.

Colesterol alimentar

Recente metanálise mostrou que o colesterol alimentar exerce pouca influência na saúde cardiovascular, uma vez que menos de 25% do colesterol ingerido realmente altera o colesterol plasmático. Em razão destes estudos mais recentes, as atuais diretrizes internacionais sobre prevenção cardiovascular mostram que não há evidências suficientes para estabelecimento de um valor de corte para o consumo de colesterol.

Tratamento dietético para triglicérides alto

A concentração plasmática de TG é muito sensível a variações do peso corporal e a alterações na composição da dieta, particularmente quanto à qualidade e à quantidade de carboidratos e gorduras. A quantidade recomendada destes nutrientes na dieta depende do tipo de hipertrigliceridemia, que pode se apresentar na forma primária ou secundária, cujas bases fisiopatológicas são distintas.

Na hipertrigliceridemia de causa secundária, observada na obesidade e no diabetes, mantém-se o controle de gorduras (30 a 35% das calorias) e a adequação no consumo de carboidratos, com ênfase na restrição de açúcares. Confira as estratégias nutricionais. 

Redução no consumo de álcool

O consumo de bebida alcoólica não é recomendado para indivíduos com hipertrigliceridemia.

Redução no consumo de açúcares e carboidratos

Doces, mel, melado, açúcares de todos os tipos (mascavo, demerara, de beterraba etc.), xarope de milho, sacarose, suco de fruta concentrado (mesmo sem adição de açúcar) são os principais problemas aqui. O consumo precisa ser diminuído.

Substituição parcial de ácidos graxos saturados por mono e poli-insaturados

Os ácidos graxos saturados da dieta relacionam-se com a elevação da trigliceridemia, por aumentarem a lipogênese hepática e a secreção de VLDL. Desta forma, recomenda-se a inclusão de poli e monoinsturados. Dentre os ácidos graxos poli-insaturados, os da série ômega 3 são reconhecidos pela atividade cardioprotetora.

Tanto para o tratamento de colesterol alto quanto para o tratamento do triglicérides alto, a atividade física é indispensável. A ingestão de outros elementos também é indicada no tratamento nutricional das dislipidemias

Ômega 3

Os principais ácidos graxos da série ômega 3 são o ácido ALA (C18:3), de origem vegetal (soja, canola e linhaça), e os ácidos EPA (C20:5) e DHA (C22:6), provenientes de peixes e crustáceos de águas muito frias dos oceanos Pacífico e Ártico. Estão associados a redução nos níveis de triglicérides se usados como uma complementação de uma base alimentar adequada.

Fitoesteróis

Fitosteróis, fitostanóis e seus ésteres são um grupo de esteroides alcoólicos e ésteres, que ocorrem exclusivamente em plantas e vegetais. Óleos vegetais, cereais, grãos e demais vegetais são fontes de fitosteróis. O consumo de fitosteróis reduz a absorção de colesterol.

Proteína de soja

Encontrada em produtos à base de soja.

Fibras solúveis

Encontrada na maioria das frutas e cereais como aveia.

Probióticos

Apesar do crescente interesse em investigar o uso de probióticos no colesterol, estudos mostram ausência de efeito ou redução modesta de concentração plasmática de LDL-c.

Lembre-se que mudanças nos hábitos alimentares, especialmente voltadas para tratamentos médicos, precisam ser acompanhadas por um nutricionista profissional, pois a estratégia nutricional deve ser individualizada. Agende uma consulta e saiba mais.

Quer fazer uma Avaliação ou
marcar uma Consulta ?
Conheça a nutricionista

Olá, sou a Dra. Diana Ruffato, Nutricionista em Alphaville com atendimento online para todo o Brasil.  Seja muito bem-vindo a minha página profissional!

Tenho uma formação em um curso de nutrição com foco em nutrição hospitalar, diferente de todos os outros cursos de nutrição do país que tem um foco maior em saúde pública e prevenção. Além de passar os 5 anos da faculdade dentro de um hospital, fiz mais 2 anos de aprimoramento em Nutrição Hospitalar e Mestrado e Doutorado com Doenças Raras.

Coloco dedicação e amor em tudo o que me proponho a fazer na vida e a Nutrição me permite ajudar as pessoas a viver uma vida mais leve e com mais saúde.

Minha experiência profissional foi toda voltada para a nutrição clínica e tratamento de doenças crônicas e agudas, o que torna meu atendimento diferenciado.

Sou Nutricionista formada pelo curso de Nutrição e Metabolismo da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, USP- RP. Cursei Aprimoramento em Nutrição Hospitalar do Hospital das Clinicas de Ribeirão Preto, USP com duração de 2 anos.

Mestre em Ciências pelo programa de pós-graduação em saúde da criança e do adolescente da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto e Doutora em Ciências também pelo programa de pós-graduação em saúde da criança e do adolescente da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, USP.

Ex-Docente na Universidade de Franca, SP. Foi supervisora de estágio no Hospital Santa Casa de Franca e Ribeirão Preto – SP.

Ver Currículo Lattes
Olá!

Gostaria de receber uma ligação?